Dassault Systèmes revela a próxima instalação “Design for Life” no Museu de Design de Londres

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

– Aurora, uma instalação sustentável projetada pelo renomado arquiteto Arthur Mamou-Mani em parceria com a Dassault Systèmes, será exibida no átrio do Museu de Design de Londres;

– A instalação coincidirá com a exposição do Museu de Design de Londres “A era do desperdício: O que o design pode fazer?”, em outubro de 2021, que será inaugurada em paralelo com a COP26;

– Aurora apresenta os princípios da arquitetura circular utilizando materiais que podem ser bio-originados, impressos em 3D, triturados, reimpressos e industrialmente biodegradáveis;

– Aurora foi projetada virtualmente utilizando a plataforma 3DEXPERIENCE, da Dassault Systèmes em Nuvem, que apóia a tomada de decisões desde o nível molecular até o fim do ciclo da vida. A Dassault Sytsèmes anuncia mais uma novidade de seu programa “Design for Life” (Design para a vida) de colaboração com designers inovadores em todo o mundo: Aurora, por Arthur Mamou-Mani e Dassault Systèmes. Aurora é uma manifestação interativa do poder de unir design, ciência e indústria para imaginar e criar, de forma colaborativa, inovações sustentáveis que harmonizam produtos, natureza e vida. A instalação será exibida em Londres durante as semanas de abertura da exposição Era do Desperdício, do Museu do Design, que acontece a partir de 23 de outubro de 2021 e que irá coincidir com 26ª Conferência das Partes sobre Mudança Climática das Nações Unidas em Glasgow (COP26).

Essa colaboração mais recente do “Design for Life” foi iniciada há dois anos como um projeto de pesquisa experimental para a utilização do pensamento upstream – uma abordagem de design e de processos que torna a renovação um requisito dos projetos – e o software da Dassault Systèmes para demonstrar os princípios de inovação circular. Aurora é principal resultado dessa pesquisa: uma instalação experiencial feita de módulos que podem ser triturados, derretidos e reformados, em um processo contínuo de reinvenção e renascimento.

“Aurora celebra um novo amanhecer no despertar do trauma mundial sobre a pandemia global”, afirma o arquiteto Arthur Mamou-Mani. “Como designers, arquitetos e engenheiros, podemos agora nos reunir para criar experiências compartilhadas, em vez de projetos fixos, capacitando pessoas por meio da produção e criatividade”.

Desde a seleção de materiais até o design e a fabricação, Aurora sinaliza o fim da era do “pegar-fazer-desperdiçar” e anuncia o alvorecer dos ambientes concebidos para revitalização com uma abordagem inclusiva e que une conhecimento e know-how de múltiplas disciplinas. Seguindo uma análise de nível molecular de diferentes materiais, o bioplástico Ácido Polilático (PLA) – um termoplástico não tóxico derivado de plantas, que pode ser impresso em 3D, montado, reciclado e impresso novamente em um circuito fechado e contínuo até que possa ser compostado de volta à terra – foi selecionado nesse projeto. A equipe utilizou a plataforma 3DEXPERIENCE da Dassault Systèmes em Nuvem para colaborar e criar uma experiência de Gêmeos Virtuais (Virtual Twins) de sua obra de arte em um espaço virtual que replica com precisão o átrio do Museu de Design de Londres.

“O objetivo dessa colaboração é realizar a instalação por meio de um processo holístico, integrativo e exploratório”, diz Anne Asensio, Vice-Presidente da Experiência em Design da Dassault Systèmes. “Ao questionar todos os aspectos de sua produção e ciclo de vida, desde uma avaliação detalhada do impacto ambiental dos materiais até as possibilidades de desmontagem e reutilização, estamos levando o público para uma jornada que questiona como podemos projetar e criar os habitats do futuro”.

Isso significa substituir o planejamento urbano baseado em dados de cima para baixo por novas narrativas urbanas, além de permitir aos cidadãos contribuírem para cidades mais sustentáveis.

Com visuais fotorrealísticos de alto impacto, a equipe vivenciou a aparência da instalação nesse espaço virtual em diferentes momentos do dia, conforme a luz, as sombras e os fluxos de ar mudavam o ambiente. O time foi capaz de imaginar, experimentar, projetar, otimizar, testar, visualizar e refinar suas criações virtualmente e em paralelo avaliar a sustentabilidade de cada escolha antes de consumir qualquer material físico. Isso garantiu que a instalação atingisse os objetivos do projeto e entregasse uma experiência otimizada que demonstra um mundo em que qualquer objeto “feito” – de casa e estilo de vida à mobilidade e cidades – é imaginado, inventado e fabricado para a sustentabilidade.

Nesta década, para entregar uma redução de 50% nas emissões globais de CO2, especialistas em design e ciência devem convergir e colaborar para imaginar uma prática nova e unificada de modelos sustentáveis para apoiar um planeta com recursos limitados. A plataforma 3DEXPERIENCE, da Dassault Systèmes, permite que eles colaborem e utilizem tecnologias, incluindo realidade virtual, modelagem 3D, simulações e design generativo, em um universo virtual que unifica suas disciplinas, facilita a compreensão por meio da linguagem universal do 3D e facilita a complexidade da tomada de decisões de sustentabilidade, desde o nível molecular até a manufatura (com reutilização de materiais no fim da vida útil) em busca de um design mais ético e sustentável.

Iniciado há uma década, “Design for Life” é um programa contínuo para explorar como a ciência e a tecnologia podem capacitar designers a construir um mundo melhor e mais sustentável. Colaborações anteriores incluíram Kengo Kuma, Thom Mayne e Patrick Jouin.