Secretaria de Governança é ponto essencial para a adoção das boas práticas

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

IBGC reforça a necessidade do secretário na estrutura corporativa

A discussão sobre Governança Corporativa no Brasil está em constante evolução. Com o intuito de aprimorar as boas práticas, o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) recomenda a criação da Secretaria de Governança. Essa é uma função importante para o conselho de administração e todo o sistema de Governança em companhias de capital aberto ou fechado, de controle familiar ou não.

Em estudo recente, desenvolvido pela Comissão de Secretaria de Governança do IBGC, concluiu-se que 52% das empresas pesquisadas possuem uma área específica de Governança Corporativa, das quais 74,3% têm secretários. Menos de 10% dos profissionais acumulam o cargo com o de conselheiro.

Há associações de secretários e profissionais de Governança em diversos países, sendo inclusive uma profissão regulamentada em alguns deles. No Brasil, o cargo é previsto no Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa, que prevê a indicação de um secretário do conselho de administração.

“Parte das empresas ainda tem a visão de que o secretário é um profissional com funções operacionais. Não é somente isso, ele ocupa uma posição de confiança e exerce responsabilidades executivas e estratégicas”, diz Heloisa Bedicks, superintendente do Instituto.

O secretário é considerado o “braço direito” do presidente do conselho de administração e por esse motivo a boa interação entre ambos é imprescindível para que haja uma dinâmica que siga os pilares da Governança.

Informações com as principais características do órgão e de seus profissionais estão detalhadas na pesquisa Secretaria de Governança, disponível em http://goo.gl/TEIPV