Post PLANIN 17_4 v2

PLANIN debate o tema “Fake News”

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Pesquisa realizada pelo Worldcom Public Relations Group, grupo que a PLANIN representa no Brasil, revela que 80% dos profissionais de RP não acreditam que os leitores sejam capazes de identificar notícias falsas

Fake News PLANIN

Notícias falsas e fatos mal contados geram cada vez mais barulho nas redes sociais. Profissionais de comunicação e marketing, por esse fato, têm urgência de discutir como essa onda pode afetar as marcas.

De acordo com pesquisa feita pelo Worldcom Public Relations Group, grupo internacional que a PLANIN representa no Brasil, mais de 80% dos entrevistados indicaram que não acreditam que os leitores norte-americanos sejam capazes de identificar notícias falsas, conhecidas como fake news. O estudo também revelou que mais de 50% das agências membros do Worldcom têm aconselhado seus clientes sobre o assunto nos últimos meses.

As fake news também se relacionam com um conceito chamado “pós-verdade” – baseado na definição do dicionário Oxford. O termo é um adjetivo “que se relaciona ou denota circunstâncias nas quais fatos objetivos têm menos influência em moldar a opinião pública do que apelos à emoção e a crenças pessoais”. Ou seja, são informações transmitidas e disseminadas (não necessariamente verdadeiras) que acabam tendo tanto impacto sobre a opinião pública quanto sobre fatos devidamente comprovados.

As agências do Worldcom concordam que as organizações que forem vítimas de fake news devem usar uma estratégia similar às usadas em outras crises de comunicação: avalie, contenha e combata. A disseminação de falsas notícias e o seu potencial de alto alcance por meio das redes sociais impulsionam a necessidade de os times de comunicação se prepararem para lidar com esse tipo de situação mesmo antes de ela acontecer.

Uma das razões pelas quais os comunicadores identificaram essa urgência é o fato de que nem todos os meios de comunicação possuem código ético para as publicações. Assim, sem a devida apuração, alguns canais podem compartilhar dados, imagens, vídeos e outras informações equivocadas. Uma boa solução é contratar uma agência que esteja preparada para agir prontamente nessa situação para não gerar danos à imagem da marca.

O Worldcom Public Relations Group é a principal rede de agências independentes de comunicação do mundo. Fundado em 1988, o grupo tem sede em Nova York e presença em mais de 35 países. No Brasil, é representado com exclusividade há mais de vinte anos pela PLANIN, uma das principais agências de comunicação empresarial do País.

Confira o vídeo feito pelo Worldcom Public Relations Group abordando diversas perspectivas e opiniões sobre o tema: https://youtu.be/AoZ4kpnr37U.