gartner

Gartner aponta que a convergência da TI com a tecnologia das operações traz vantagens competitivas importantes

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

O Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento imparcial em tecnologia, aponta que o crescente interesse pela Internet das Coisas (IoT) e a transformação dos negócios digitais significam que novas oportunidades vão surgir e que os riscos associados a esse processo precisarão ser mitigados. Fazer isso exigirá altos níveis de cooperação entre a TI (Tecnologia da Informação) e os grupos responsáveis pelo gerenciamento da tecnologia operacional (TO) para monitorar ou controlar os dispositivos físicos e processo da empresa.

“À medida que aumenta o número de companhias buscando alinhar TI e TO, os CIOs (Chief Information Officers) e os departamentos de TI serão os protagonistas na promoção de relacionamentos e na mudança da cultura da organização. Isso vai exigir uma combinação de habilidades tradicionais de TI e TO com o desenvolvimento de uma nova propriedade intelectual, enquanto a experiência externa ajudará a empresa nessa educação multidisciplinar”, explica Kristian Steenstrup, Analista e Fellow do Gartner.

Steenstrup diz que a rápida adoção de máquinas complexas capacitadas para IoT (e seu uso com plataformas de TO) possibilitará a utilização de “gêmeos digitais” para gerenciar, monitorar e fazer a manutenção desses aparelhos. Os analistas do Gartner debaterão esse e outros temas relacionados na Conferência Infraestrutura, Operações de TI e Data Center 2017, que acontece em São Paulo nos dias 25 e 26 de abril.

O gêmeo digital é uma simulação de alta integridade dos ativos físicos de uma máquina conduzida por informações que podem ser coletadas para ajudar os fabricantes a avaliarem o desempenho do equipamento em campo. Um dos principais casos de uso para conexão de máquinas complexas e seus sistemas de TO a um ambiente de TI é a captura de dados de telemática de veículos para monitorar a performance do operador, a deterioração, as falhas, a localização, a conformidade com a segurança e os sistemas de monitoramento remoto para controle e utilização de ativos.

Conforme a infraestrutura de IoT estende seu alcance e aprimora as plataformas de TO, a capacidade de monitorar ativamente o desempenho em campo de máquinas complexas e seus subcomponentes terá um volume crítico. Com isso, os benefícios dos efeitos em escala mudarão dos operadores-proprietários para os fabricantes. Entre os dados que serão apresentados pelo Gartner em sua Conferência, está a estimativa de que, até 2020, os gêmeos digitais para os equipamentos industriais serão responsáveis pela realocação de 25% dos gastos do usuário final dos modelos de “compra e manutenção” para os de “serviço” fornecidos pelos produtores.

O recurso de gêmeo digital, aliado às funcionalidades avançadas de análise e à capacidade de representar o objeto dentro da cadeia de valor do negócio, reduzirá a incerteza e oferecerá um resultado garantido, permitindo que os fabricantes identifiquem mais oportunidades para entrega de valor.

Uma pesquisa do Gartner identificou que as empresas estão ágeis na integração de tecnologias de IoT e de TI – como sensores, administração de dados compartilhados, segurança e Analytics – aos sistemas de TO. No entanto, a implementação de IoT ainda está nos estágios iniciais e a maioria das companhias ainda não tem as habilidades, o conhecimento ou o tempo necessário para direcionar os requisitos de alinhamento de TI com TO.

As empresas precisarão buscar provedores externos com portfólios de serviços de TO comprovados. O Gartner prevê que, até 2020, 50% dos prestadores de serviços de tecnologia operacional vão criar parcerias importantes com fornecedores de TI para ofertas de Internet das Coisas.

O desenvolvimento da IoT industrial traz uma série de benefícios, incluindo maior precisão, mais e melhores sensores, além de economia de custos. Para as indústrias e empresas com grande volume de ativos (como fábricas, companhias do setor de energia, óleo e gás e transportes), a TO é a plataforma operacional da organização. Os provedores de serviços relacionados à tecnologia da operação que trabalham com esses setores com grande volume de ativos há muitos anos e possuem amplo conhecimento em operações e fortes relacionamentos dentro das empresas já estão começando a ampliar suas ofertas de serviços profissionais para atender a integração da IoT.

Executivos interessados no tema poderão obter mais informações na Conferência Gartner Infraestrutura de TI, Operações & Data Center 2017, que ajudará os líderes estratégicos de TI na busca pela excelência operacional com a oferta de serviços confiáveis, melhorando os níveis de produtividade e inovação. O evento vai abordar onde Cloud se encaixa na estratégia de Data Center, implicações da agenda do CIO nas áreas de Infraestrutura e Operações, o cenário de armazenamento para os próximos cinco anos, desafios e oportunidades no mercado de TI no Brasil e como alavancar os serviços de Cloud e Data Center para transformar as empresas em um negócio digital.