Estudo divulgado pelo CISA revela o papel da Internet na prevenção do consumo nocivo de álcool entre universitários

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Intervenções on-line reduzem o padrão de consumo conhecido como “beber pesado episódico” entre universitários

 

O Centro de Informações sobre Saúde e Álcool – CISA, uma das principais fontes no país em relação ao binômio Saúde e Álcool, divulga estudo publicado pela Revista Alcohol sobre o uso da Internet na prevenção do consumo nocivo de álcool entre universitários. O padrão de consumobinge, ou Beber Pesado Episódico (BPE)*, é mais frequente e intenso entre jovens de 18 a 24 anos, sendo ainda mais acentuado entre universitários da mesma idade.

A relevância deste tema deve-se aos problemas que são frequentemente relacionados ao BPE, como acidentes, violência, comportamento sexual de risco, alterações na pressão arterial, danos neurológicos, entre outros. Ao considerar essa realidade, as universidades têm buscado implementar formas mais eficientes de prevenção e, nesse contexto, as ações via Internet são cada vez mais utilizadas. Entre as vantagens está a capacidade de atingir um número expressivo de estudantes com baixos custos, por meio de mensagens enviadas aos participantes de forma automatizada, mantendo a confidencialidade e a privacidade do indivíduo. Além disso, a conscientização on-line apresenta flexibilidade de tempo e local para realização da atividade.

Vale lembrar que o acesso e o uso da Internet entre universitários são bastante amplos, o que motiva abordagens de intervenções on-line nesta população para reduzir o BPE. Assim sendo, o objetivo do estudo foi realizar uma revisão criteriosa e sistemática de pesquisas publicadas sobre o tema.

Para essa avaliação foram adotados métodos de busca, como escolha de bibliotecas virtuais e palavras-chave, segundo exigências internacionais de instituições de pesquisa renomadas. Um total de 14 artigos foram selecionados, todos publicados em inglês, entre os anos de 2000 e 2014. A maioria das pesquisas foi conduzida nos EUA, com participantes do primeiro ano das universidades, na faixa etária entre 19 e 22 anos. Confirmando a eficiência das intervenções on-line, a maioria dos estudos demonstrou resultados positivos na redução dos índices de uso de álcool, tanto em relação à quantidade quanto à frequência, e dos problemas relacionados ao consumo excessivo também.

Apesar das ações presenciais tradicionalmente mostrarem-se mais eficazes, intervenções on-line destacam-se pelos melhores resultados quando comparadas às intervenções que utilizam materiais impressos. Ações on-line também são convenientes por este ser um possível meio de ampliar as medidas preventivas, considerando a carência de intervenções de maneira geral. As principais vantagens observadas na abordagem via Internet foram a facilitação de outros canais de comunicação permanentes, como e-mails, levantamento de dados a partir de plataformas on-line e difusão de informações por websites, gerando boa relação custo-benefício.

É necessário, no entanto, atentar-se que intervenções on-line apresentam alguns riscos, como rápida difusão de falsas informações, entendimento errôneo ou incompleto, coleta de informações com pouca qualidade, falta de interação pessoal direta e suporte médico imediato para os que necessitam.

Como conclusão, os autores destacam que a Internet quando utilizada como intervenção preventiva pode ser eficiente na redução do consumo excessivo de álcool entre universitários. Os autores também sugerem que, futuramente, as universidades considerem mais as avaliações dos estudantes e aumentem a frequência de ações preventivas on-line a fim de ampliar os resultados positivos dessa abordagem.

 

*BPE segundo o National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism (NIAAA) consiste na ingestão de mais de 5 doses para homens e mais de 4 doses para mulheres em um intervalo de 2 horas, atingindo níveis sanguíneos de álcool acima de 0,08 g/dL.

 

Título do estudo: The Use of the Internet for Prevention of Binge Drinking Among the College Population: A Systematic Review of Evidence.

Autores: Bhochhibhoya A, Hayes L, Branscum P e Taylor L.

Fonte:  Alcohol Alcohol. 2015 Sep;50(5):526-35

 

Sobre o CISA

O Centro de Informações sobre Saúde e Álcool – CISA, organização não governamental criada em 2004 e qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) desde 2005, foi fundado pelo psiquiatra e especialista em dependência química Dr. Arthur Guerra de Andrade e consolidou-se como a maior fonte de informações no país sobre o binômio saúde e álcool. Por meio de seu website (www.cisa.org.br), disponibiliza um banco de dados direcionado à população geral, estudantes, profissionais de saúde, pesquisadores e empresas, que têm como base publicações científicas reconhecidas no cenário nacional e internacional, dados oficiais (governamentais) e informações de qualidade publicadas em jornais e revistas destinados ao público geral sobre o álcool e suas relações com o corpo, a mente e a sociedade.

O CISA acredita na importância do rigor ético e na transparência de suas ações no que diz respeito à obtenção e divulgação de conhecimento atualizado e imparcial na área de saúde e álcool, e prontifica-se a colaborar com políticas públicas que abordem o tema de forma eficaz. Também está comprometido com o avanço do conhecimento nessa área e encoraja a adoção de medidas para prevenir o uso nocivo de álcool e suas consequências, por meio de parcerias e elaboração de materiais educativos e de prevenção. Para mais informações, acesse o site www.cisa.org.br ou os perfis da organização nas mídias sociais: Facebook (https://www.facebook.com/pages/CISA-Centro-de-Informações-Sobre-Saúde-e-Álcool/166680883359856), Twitter (@CISA_oficial) e Instagram (@cisa_oficial).

 

PLANIN – Assessoria de Imprensa do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool – CISA

Tel.: (11) 2138-8908

E-mail: cisa@planin.com