Dassault Systèmes anuncia resultados do segundo trimestre e reafirma aceleração na venda de novas licenças

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Paris, França – 25 de julho de 2013 – A Dassault Systèmes (Euronext Paris: # 13065, DSY.PA), companhia 3DEXPERIENCE, líder mundial em design 3D, 3D Digital Mock Up e Gerenciamento do Ciclo de Vida de Produtos (PLM – Product Lifecycle Management), apresenta os resultados financeiros não auditados, conforme as Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS), para o segundo trimestre e primeiro semestre de 2013. Esses resultados foram revisados pelo Conselho de Administração em 24 de julho de 2013.
Principais destaques
(não auditado)

• No segundo trimestre, a receita de novas licenças aumentou 4% em moedas constantes
• O lucro por ação não-IFRS aumentou 9%, no segundo trimestre, e 10%, no primeiro semestre, para 0,83 € e 1,61 €, respectivamente
• No primeiro semestre, o fluxo de caixa das operações foi de 353 milhões de euros
• A DELMIA tornou-se líder em gestão de operações de manufatura com a aquisição da Apriso
• Lançamento da V6 R2014, com integração entre Nuvem privada/pública e experiência do usuário no novo negócio IFWE Compass

Resumo Financeiro do Segundo Trimestre de 2013
(Não auditado)

Em milhões de Euros, exceto nos dados em porcentagem IFRS Não-IFRS
Crescimento Mudança em Câmbio Constante Crescimento Mudança em Câmbio Constante
Total de vendas 522 4% 6% 521,9 4% 6%
Venda de Softwares 474,5 4% 6% 474,4 4% 6%
EPS 0,64 (4%) 0,83 9%
Margem Operacional 23% 30%
*Em moedas constantes.

“Continuamos a cumprir nossos objetivos financeiros graças à crescente demanda por nossas experiências, soluções e aplicativos para indústrias, apesar do fraco ambiente macro. Ao mesmo tempo, estamos fazendo avanços significativos para concretizar a nossa estratégia 3DEXPERIENCE”, diz Bernard Charlès, Presidente e CEO da Dassault Systèmes.
“Nós indicamos, em fevereiro, que 2013 seria um ano com um plano ambicioso de pesquisa e desenvolvimento, visto que nos movemos rapidamente para nos posicionarmos no mercado de 3DEXPERIENCE. Esta manhã, estamos revelando a V6 R2014, que oferece uma plataforma 3DEXPERIENCE para negócios, construída com base na nossa arquitetura V6, disponível em Nuvens privadas ou públicas, e que incorpora tecnologias-chave, tais como painel automático e melhor aproveitamento do Big Data. A plataforma 3DEXPERIENCE introduz uma inovadora interface de usuário inclusiva, denominada por nós como IFWE Compass, que fortalecerá não somente todos os nossos aplicativos, mas também muitos outros, de todos os tipos, de terceiros. Acreditamos que ela representará um marco importante para a indústria e estamos ansiosos para trabalhar com clientes selecionados antes da liberação geral da V6 R2014X”, explica o executivo.
“Além de tudo isso, estamos acelerando a execução da nossa estratégia com aquisições. A aquisição da Apriso no início de julho, que passou a fazer parte do portfólio de aplicativos da DELMIA, é uma perfeita ilustração disso. Com ela, nós nos tornamos um importante participante do mercado de Gestão de Operações de Manufatura (MOM) em 10 dos 12 setores que alvejamos, proporcionando a continuidade de ativos digitais para a execução de operações de manufatura”, completa Charlès.

Resumo Financeiro do Segundo Trimestre de 2013
(Não auditado)

Em milhões de Euros IFRS Não-IFRS
2º Trimestre 2013 2º Trimestre 2012 Mudança em moeda constante 2º Trimestre 2013 2º Trimestre 2012 Mudança em moeda constante
Total de vendas 522 502,9 6% 521,9 502,9 6%
Vendas de Software 474,5 457,8 6% 474,4 457,8 6%
Serviços e outras vendas 47,5 45,1 9% 47,5 45,1 9%

Venda de Software PLM 369,6 356,3 6% 369,5 356,3 6%
Venda de Software SOLIDWORKS 104,9 101,5 6% 104,9 101,5 6%

Américas 145,4 139,2 6% 145,3 139,2 6%
Europa 231,1 228,2 2% 231,1 228,2 2%
Ásia 145,5 135,5 13% 145,5 135,5 13%
*Em moedas constantes.

• A receita total (IFRS e não-IFRS) aumentou 6%, com base no crescimento da receita de softwares e serviços e outras receitas. De modo semelhante, a receita de softwares aumentou 6% (IFRS e não-IFRS) e representou 91% da receita total. Serviços e outras receitas aumentaram 9%, com base no crescimento em novos acessórios da V6 (todas as comparações de crescimento são em moedas constantes).
• Na Ásia, a receita total (IFRS e não-IFRS) foi superior em 13%, com base no forte crescimento de softwares em uma lista de países liderada pela China e Coréia. As Américas registraram crescimento de 6% da receita total (IFRS e não-IFRS), que foi impulsionada pelo aumento de 8% na receita do software. Na Europa, a receita total (IFRS e não-IFRS) cresceu 2%, refletindo o ambiente mais calmo, bem como uma base de comparação elevada para o segundo trimestre de 2012, quando a receita total aumentou 19% na Europa. A empresa observou que suas três maiores regiões da Europa registraram crescimento na receita de software em relação ao ano anterior (todos os índices de crescimento são representados em moedas constantes).
• A receita de novas licenças, como previsto, aumentou de forma positiva em relação ao ano anterior em 4%, em moeda constante. O crescimento na receita de novas licenças foi liderado pela Ásia, com resultados notáveis na China e no Japão.
• A receita recorrente de software (IFRS e não-IFRS) aumentou 6%, em moedas constantes, com base no crescimento da receita de manutenção e locação e refletiu um retorno à sazonalidade normal para renovações no primeiro semestre do ano. O segundo trimestre de 2012 beneficiou-se da atividade de renovação de manutenção devida no primeiro trimestre de 2012, mas cujas ordens de compra foram processadas no segundo trimestre.
• A receita do software PLM aumentou 6% (IFRS e não-IFRS). O crescimento refletiu o ambiente tranquilo com CATIA e ENOVIA, estável em relação ao mesmo período do ano anterior. Outras soluções PLM registraram aumento de 24%, impulsionadas pela adição da GEOVIA, pelos resultados mais elevados para DELMIA e pela força continuada para SIMULIA (todas as comparações de crescimento são em moedas constantes).
• A receita do software SOLIDWORKS aumentou 6% (IFRS e não-IFRS), em moedas constantes, com base no crescimento na receita de novas licenças e manutenção.
• O lucro operacional, de acordo com as Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS), totalizou 119,8 milhões de euros, e a margem operacional foi de 23%. Em uma base não-IFRS, o lucro operacional aumentou 6,6% para 156,7 milhões de euros e a margem operacional aumentou para 30%, em comparação a 29,2% no mesmo período do ano anterior.
• O lucro líquido diluído por ação de acordo com a IFRS diminuiu 4,5%, para 0,64 € por ação, refletindo principalmente um ganho único sobre a venda da atividade de distribuição no segundo trimestre de 2012, bem como nas maiores despesas de pagamento com base em ação no segundo trimestre de 2013. O lucro líquido diluído por ação não-IFRS aumentou 9,2%, para 0,83 € por ação, sobre o crescimento no lucro operacional e na receita financeira, com a alíquota efetiva de 34,2%, ligeiramente menor em relação ao mesmo período do ano anterior.

Resumo Financeiro do Primeiro Semestre de 2013
(Não auditado)

Em milhões de euros, exceto nos dados em porcentagem IFRS Não-IFRS
Crescimento Mudança em Câmbio Constante Crescimento Mudança em Câmbio Constante
Total de vendas 1.007,3 4% 6% 1.010,7 5% 7%
Venda de Softwares 920,9 5% 7% 924,3 5% 7%
EPS 1,22 (2%) 1,61 10%
Margem Operacional 22,2% 29,5%
* Em moedas constantes.

Em milhões de Euros, exceto nos dados em porcentagem IFRS Não-IFRS
2013 2012 Mudança em moeda constante 2013 2012 Mudança em moeda constante
Total de vendas 1.007,3 965,3 6% 1.010,7 965,3 7%
Vendas de Software 920,9 877,7 7% 924,3 877,7 7%
Serviços e outras vendas 86,4 87,6 1% 86,4 87,6 1%

Venda de Software PLM 713,4 677,8 7% 716,8 677,8 7%
Venda de Software SOLIDWORKS 207,5 199,9 6% 207,5 199,9 6%

Américas 278,8 265,6 6% 279,8 265,6 7%
Europa 446,5 423,3 4% 447,1 432,3 4%
Ásia 282 267,4 10% 238,8 267,4 11%
*Em moedas constantes.

• A receita total aumentou 6% (IFRS) e 7% (não-IFRS) em moedas constantes, com crescimento tanto em software e serviços nas três regiões. Os resultados do primeiro semestre de 2013 incluem a aquisição da Gemcom (parte da GEOVIA) e a venda da Transcat PLM GmbH.
• Em termos regionais, a receita da Ásia aumentou 10% (IFRS) e 11% (não-IFRS), liderada pela China e pela Coréia. As Américas registraram crescimento de 6% da receita (IFRS) e 7% (não-IFRS), impulsionado pelo crescimento de 10% da receita do software. Na Europa, a receita total aumentou 4% (IFRS e não-IFRS), com resultados mistos por países. Países de alta performance cresceram 19%, com base no forte crescimento da América Latina, apoiado pela Índia, Rússia, Coréia e China, o que representa aproximadamente 12% da receita total (todos os índices de crescimento são representados em moedas constantes).
• A receita do software SOLIDWORKS aumentou 6% (IFRS e não-IFRS), em moedas constantes, com base no forte crescimento na receita recorrente do software e na receita de novas licenças a partir das vendas de produtos múltiplos.
• O lucro operacional, de acordo com a IFRS, totalizou 223,7 milhões de euros, o que representa um decréscimo de 3,8% na maior receita, compensado pelo crescimento de 6,9% das despesas operacionais. O lucro operacional, não-IFRS, aumentou 5,7%, para 298,4 milhões de euros, com base na maior receita e no crescimento da despesa operacional limitado a 4,3%. A margem operacional não-IFRS aumentou ligeiramente para 29,5% em comparação a 29,2%.
• O lucro líquido diluído por ação, de acordo com a IFRS, diminuiu 2,4%, para 1,22 euro por ação, refletindo principalmente um ganho único sobre a venda de uma atividade de distribuição no primeiro semestre de 2012, bem como nas maiores despesas de pagamento com base em ação no primeiro semestre de 2013. O lucro líquido diluído por ação, não-IFRS, aumentou 9,5%, para 1,61 euro, refletindo principalmente o crescimento no lucro operacional, as receitas financeiras e uma alíquota mais baixa.
• Novos negócios no primeiro semestre incluíram a compra dos aplicativos do software com base na arquitetura V6 por empresas nas áreas aeroespacial e de defesa, transporte e mobilidade, embalagens e equipamentos industriais e incluíram Alstom Transport, Metso Pulp, Paper & Power, Parker Hannifin, P&G e Renault, dentre outras.

Fluxo de caixa e outros destaques financeiros
O fluxo de caixa operacional líquido foi de 168,3 e 353,3 milhões de euros para o segundo trimestre e o primeiro semestre, respectivamente, em comparação a 188,1 e 353,8 milhões de euros para os mesmos períodos de 2012. Para o primeiro semestre de 2013, a taxa de conversão foi excelente.
Em junho de 2013, a empresa firmou um novo empréstimo de cinco anos no valor de 350 milhões de euros na França, que foi totalmente sacado. Em 30 de junho de 2013, as disponibilidades e os investimentos de curto prazo totalizaram 1,95 bilhão de euros e a dívida de longo prazo era de 372,4 milhões de euros, em comparação a 1,32 bilhão e 38,3 milhões de euros, respectivamente, em 31 de dezembro de 2012.