CISA alerta foliões sobre comportamentos de risco associados ao consumo de álcool

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Preocupado com o comportamento de risco dos foliões ao beber durante o feriado prolongado de Carnaval, comemorado em 4 de março neste ano, o Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA), organização não governamental que se destaca como uma das principais fontes no País, alerta sobre as consequências negativas do consumo abusivo de álcool.

O álcool é um depressor do Sistema Nervoso Central e age diretamente em diversos órgãos, tais como o fígado, o coração, vasos e parede do estômago. Em pequenas quantidades, promove leve sensação de euforia, relaxamento e prazer; com o aumento do consumo, há diminuição da resposta aos estímulos, da atenção e vigilância, redução da capacidade de tomar decisões racionais ou de discernimento. Neste contexto, é preciso alertar a população sobre padrões mais pesados de uso de álcool, como o beber pesado episódico (definido pelo National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism– NIAAA como a ingestão de 5 ou mais doses* de álcool para homens e 4 ou mais doses para mulheres em um período de 2h), que está fortemente associado ao aumento do risco de apresentar problemas relacionados ao álcool, tais como: maiores riscos de acidentes de trânsito, violência (incluindo brigas, violência doméstica e homicídios), sexo desprotegido, gravidez indesejada, infarto agudo do miocárdio, intoxicação alcoólica, quedas e fraturas, dependência, entre outros.

“Os períodos festivos, como Natal, Ano Novo e Carnaval, são marcados por uma maior aceitação social do consumo de álcool e, assim, torna-se maior o risco de beber abusivamente e esquecer-se das potenciais consequências negativas deste uso, principalmente entre os jovens. Por isso mesmo que a prevenção antes, durante, e após estes períodos é fundamental”, afirma Dr. Arthur Guerra de Andrade, presidente executivo do CISA.

Em suma, cada vez mais compreendemos que profissionais da área da saúde, academia, pais, educadores, governantes e a sociedade como um todo precisam dar mais atenção ao tema, com enfoque especial ao público mais jovem, oferecendo informações de qualidade sobre os prejuízos decorrentes do uso precoce e prejudicial do álcool.

* Uma dose padrão contém aproximadamente de 10 g a 12 g de álcool puro, o equivalente a uma lata de cerveja (330 ml) ou uma dose de destilados (30 ml) ou ainda a uma taça de vinho (100 ml).